Sabemos que a automedicação é uma atitude muito frequente entre os brasileiros, mas você sabia que grande parte desses medicamentos são classificados como analgésicos e anti-inflamatórios? Isso acontece principalmente por não ser necessário receita médica para a compra. Porém, o uso constante deste tipo de medicação, ainda mais sem acompanhamento de um especialista, pode trazer sérias consequências para seu organismo. Quer descobrir quais são os principais problemas causados pelo uso excessivo de analgésicos e anti-inflamatórios? Acompanhe abaixo!

Antes disso, precisamos entender o que eles são e como agem em nosso organismo após serem ingeridos.

O que são analgésicos e como funcionam?

De maneira resumida, analgésicos são medicamentos usados para aliviar dores no geral, seja dor de cabeça, de dente, dor muscular etc.

Quando sentimos qualquer incômodo desse tipo, o nosso cérebro recebe sinais do corpo, através de receptores sensoriais e, com o uso de analgésicos, esses sinais normalmente podem ser impedidos de serem enviados, ou até mesmo de terem a intensidade reduzida quando transmitidos para o cérebro. Esse “obstáculo” é, na realidade, o efeito proporcionado por este tipo de medicamento.

TIPOS DE ANALGÉSICOS

Atualmente, existem várias classificações de analgésicos, porém são 3 as principais:

  1. Comuns: são os medicamentos vendidos sem nenhuma exigência. São indicados, normalmente, para dores leves.
  2. Anti-inflamatórios não esteroides: esses são mais compostos e combatem inflamações, além de ter propriedades analgésicas.
  3. Opioides: são mais fortes e normalmente utilizados para dores crônicas ou muito graves.

O que são anti-inflamatórios?

Assim como os analgésicos, alguns medicamentos anti-inflamatórios aliviam dores impedindo que os sinais enviados pelo corpo cheguem ao cérebro. Porém, além desta função, eles combatem inflamações, como o próprio nome já diz.

 Os analgésicos e anti-inflamatórios podem trazer problemas para a sua saúde?

Não é novidade que tudo em excesso pode ser prejudicial para nosso organismo. Quando falamos de analgésicos ou até de anti-inflamatórios, que são remédios extremamente comuns e de fácil acesso, isso se torna um ponto de extrema atenção. Entretanto, o perigo do uso desses medicamentos é, na realidade, a quantidade ingerida e não a frequência.

                Todas as substâncias que compõem remédios possuem uma quantidade máxima recomendada para absorção do organismo. Porém, é muito comum que quando uma pessoa esteja com uma dor mais intensa, ela aumente a dosagem do medicamento sem consultar qual é o limite recomendado.

                Além disso, outro agravante e de grande perigo é tomar diferentes analgésicos e anti-inflamatórios, mesmo que depois de um tempo. Isso faz com que seu organismo fique exposto a mais substâncias, aumentando ainda mais a quantidade de possíveis efeitos colaterais que podem surgir ao se automedicar.

                Quando falamos especificadamente sobre anti-inflamatórios, precisamos redobrar nossa atenção. Este tipo de medicamento e ser ainda mais grave, uma vez que seu uso contínuo pode influenciar na produção natural de substâncias classificadas como prostaglandinas, que agem em processos de dores, inflamações, febre, entre outros.

                A queda dos níveis dessas substâncias ainda pode trazer outros agravantes. Gastrite, úlceras e problema de rins, fígado ou até no coração são alguns exemplos dessas consequências.

Existe alguma alternativa de tratamento?

O uso de ervas com fins medicinais já é praticado há centenas de anos e hoje, graças ao avanço tecnológico e busca de alternativas de tratamento de dores e inflamações com menos efeitos colaterais, este processo se tornou ainda mais fácil e muito mais efetivo. Um exemplo é o Bálsamo Santalívio, que é feito a partir de 10 ervas e tem efeito comprovado.

                Essas soluções a base de ervas agem de modo menos agressivo e são muito eficazes, fazendo com que elas se tornem a opção mais benéfica, justamente por proporcionar uma redução de efeitos colaterais, consequentes de um uso frequente ou em quantidades excessivas de analgésicos e anti-inflamatórios.

                Que tal começar a usar um método natural e eficaz para o alívio de dores e inflamações? Você pode conferir outros conteúdos e dicas aqui no nosso blog ou então nos acompanhando no Facebook e no Instagram.